Meu bebê nasceu prematuro: como vai ser seu desenvolvimento no primeiro ano de vida?

Campanha Março Lilás – Atenção ao cuidado do bebê prematuro

No Brasil, nascem cerca de 340 mil prematuros por ano. A sobrevida de bebês prematuros aumenta a cada ano, com foco cada vez maior na melhor qualidade de vida. Assim, a prematuridade é uma preocupação crescente tanto para saúde pública brasileira e mundial quanto para a sociedade, os pais e as famílias.

O nascimento de um recém-nascido prematuro é quase sempre uma surpresa e junto com ele muitas questões são levantadas pelos pais:

  • Meu filho terá um desenvolvimento normal?
  • Irá correr, comer, falar e brincar?
  • O que posso fazer para mantê-lo saudável?
  • O que esperar do seu crescimento e desenvolvimento?
jolopes | depositphotos.com

Você se identificou com essas dúvidas? Vamos tentar diminuir sua ansiedade com esse texto.

Afinal, quando um bebê é considerado prematuro?

Prematuro é todo recém-nascido que nasce antes de completar a idade gestacional de 37 semanas. Muitos bebês prematuros vão se desenvolver normalmente, porém alguns podem apresentar dificuldades motoras, sensoriais e de comportamento, desde atraso para se sentar, andar e falar até cegueira, surdez e paralisia cerebral. Isso vai depender do grau de prematuridade e das intercorrências pelas quais passou durante a internação, como infecção, necessidade de ventilação mecânica, além de suas condições nutricionais.

O grau da prematuridade influencia diretamente no desenvolvimento, ou seja, quanto menor a idade gestacional e o peso ao nascimento do seu bebê, mais imaturo seus órgãos, como o coração, o pulmão, o cérebro e o intestino. Assim, maior será sua dependência de cuidados especiais, mais vulnerável a agressões externas e maior o risco de alterações no desenvolvimento desta criança.

Já ouviu falar em idade corrigida?

Para avaliar o desenvolvimento de uma criança prematura, é importante considerarmos a idade corrigida.

Idade corrigida: Idade que a criança estaria se tivesse nascido de 40 semanas.   Por exemplo, um prematuro de 30 semanas, após 16 semanas, estaria com idade corrigida de 6 semanas. Nesse caso, as 10 semanas que faltaram para completar a gestação são descontadas do tempo de vida do bebê. Isso significa que o seu desenvolvimento deve ser o esperado para um bebê de 6 semanas e não de 16 semanas. 

A avaliação do desenvolvimento por meio da “idade corrigida” é importante nos primeiros 2 a 3 anos de vida do prematuro para compararmos o comportamento esperado de acordo com a maturidade de seu cérebro e ajustar os estímulos adequados e as nossas expectativas em relação àquela criança. 

Lembre-se! Seu bebê é único! A avaliação de seu desenvolvimento deve ser feita por um profissional capacitado, respeitando as particularidades de cada criança.

O acompanhamento regular do prematuro é fundamental para avaliações precoces, início de terapias em tempo oportuno e estímulos adequados para o melhor desenvolvimento da criança. Ele deve ser individualizado para aquele bebê e para sua família, englobando não só a consulta pediátrica, mas com fonoaudiologia, fisioterapia, terapia ocupacional, oftalmologia, neurologia e outras especialidades, se necessário.

Você já ouviu falar no exame neuromotor? 

No primeiro ano de vida, uma atenção especial é dada à parte motora da criança, avaliando em conjunto sua movimentação, força, postura e reflexos.

O exame neuromotor é um importante indicador do desenvolvimento do seu bebê. Se estiver adequado no segundo semestre de vida, a chance de desenvolvimento motor normal na criança maior é muito grande. 

O que você pode fazer para estimular o melhor desenvolvimento do seu bebê?

  • Manter o acompanhamento multidisciplinar, conforme as demandas de seu filho(a).
  • Manter estímulos adequados de acordo com as orientações para cada fase do bebê.
  • Estimular o crescimento e desenvolvimento em um ambiente alegre, tranquilo e carinhoso.
A participação ativa dos pais influencia em todo o desenvolvimento da criança

Lembre-se: Cada bebê se desenvolve individualmente, no seu próprio ritmo. A melhor comparação é com ele mesmo!

Informe-se em fontes seguras e converse com seu pediatra!

___
Relatora:
Renata Sayuri Ansai Pereira de Castro
Departamento Científico de Neonatologia Sociedade de Pediatria de São Paulo


Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.


Licença Creative Commons

Esta obra foi licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.