Cuidados com a saúde oral nos primeiros Mil dias do bebê em tempos de pandemia

Campanha Fevereiro Safira – Primeiros mil dias: pelo futuro das crianças

Em tempo de pandemia de COVID-19 a melhor forma de promover a saúde oral do seu bebê continua sendo a integração dos demais cuidados com a saúde geral. Estes cuidados devem ser iniciados durante a gestação, através do pré-natal odontológico e prosseguindo, após o nascimento, com o monitoramento das funções orais e das medidas preventivas das doenças orais. Desta forma, seguem alguns aconselhamentos para o dia a dia:

reanas | depositphotos.com.br
  1. Toda gestante deve realizar o pré-natal odontológico, visando favorecer a saúde materno-infantil, a formação adequada dos dentes e das demais estruturas da boca e o engajamento na rotina dos bons hábitos alimentares e de higiene oral. É recomendado que seja realizado o exame da cavidade oral ao nascimento ou pelo menos ao aparecimento do primeiro dente decíduo (de leite).
  2. Sempre que possível, o leite materno deve ser oferecido ao bebê de maneira exclusiva nos seis primeiros meses de vida, devendo ser estendido, em paralelo à alimentação complementar, até dois anos ou mais. O leite materno é o único alimento completo e ideal para o bebê, nutrindo, aumentando a imunidade, contribuindo para a saúde e a formação adequadas dos dentes e dos futuros hábitos alimentares. Durante a amamentação ocorre o sincronismo adequado das funções de sucção, deglutição e respiração nasal, o desenvolvimento harmonioso e simétrico da boca e face do bebê; bem como, através dos movimentos realizados, preparam-se todas as estruturas da boca para as futuras funções da mastigação e fala. Desta forma, é muito importante o exame da cavidade oral ao nascimento, com a avaliação de todas as estruturas e funções da cavidade oral e dos movimentos e funções orofaciais. Quanto mais tempo o bebê for amamentado, melhor para a sua saúde oral e global, inclusive para o melhor encaixe de todos os dentes e um belo sorriso!
  3. A amamentação prepara o bebê para a mastigação e a fala no futuro. A introdução de alimentos complementares constitui o estímulo adequado para o aprendizado da mastigação, auxilia o irrompimento e posicionamento dos dentes de leite e gera benefícios ao crescimento e desenvolvimento oral infantil. É importante seguir as recomendações do pediatra e, quando necessário, do nutricionista com respeito às necessidades nutricionais, evolução gradual e individual da consistência dos alimentos, tamanho das porções e utensílios utilizados. Inicia-se do pastoso com grumos ao semissólido, com o objetivo de chegar à alimentação sólida, similar à da família, por volta dos 12 meses. Para prevenir a doença cárie, é recomendável estabelecer uma rotina de refeições com intervalos adequados entre elas, e não oferecer preparações ou produtos que contenham açúcar até os 2 anos de idade. A oferta precoce do açúcar (sacarose) pode ser considerada um fator de risco para a saúde oral, ganho excessivo de peso, diabetes e outras doenças crônicas que começam a ser desenvolvidas já na infância.
  4. Enquanto o bebê receber leite materno de maneira exclusiva, não é necessário limpar sua boca após as mamadas. Entretanto, no momento do surgimento do primeiro dente de leite na boca do bebê, a higiene oral deve ser iniciada. A limpeza deve ser realizada pelo menos duas vezes ao dia: de manhã e antes de dormir, utilizando uma escova dental infantil com cabeça pequena e cerdas macias.  A pasta de dentes deve conter entre 1000 e 1100 PPM de flúor e ser colocada em uma quantidade pequena na escova, equivalente, no máximo, a um grão de arroz cru. Nos bebês com dentes muito juntos, utilizar o fio dental. Em tempos de pandemia de Covid-19, alerta-se para os cuidados com a higiene das mãos do adulto e do bebê, bem como da limpeza e armazenamento adequado da escova após seu uso, na posição vertical com as cerdas para cima, em um copo separado dos demais membros da família e longe do vaso sanitário.
  5. Tenha cuidado na higiene e na escolha dos mordedores, talheres, copos, brinquedos, tipos de brincadeiras, berços, camas, cadeiras, proteção de quinas e demais situações domésticas para evitar os acidentes que envolvam a boca e os dentes. Em caso de traumatismo oral, consulte imediatamente um odontopediatra. Este atendimento especializado é muito importante para a avaliação, plano de tratamento e monitoramento das possíveis repercussões futuras.

Leituras sugeridas:
Dicas da Associação Internacional de Odontopediatria: https://iapdworld.org/portuguese-brazil-iapd-infographics/

Relatoras:
Dóris Rocha Ruiz
Adriana Cátia Mazzoni
Grupo de Trabalho de Saúde Oral da Sociedade de Pediatria de São Paulo


Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.


Licença Creative Commons

Esta obra foi licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.