Secretaria da Saúde e Sociedade de Pediatria debatem o direito à amamentação em ambiente de trabalho

Em 7 de agosto, como parte da XXIV Semana Mundial da Amamentação, a Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), com o apoio da Secretaria Estadual de Saúde (SES), realizará importante debate sobre o tema “Amamentação e Trabalho”. Profissionais da saúde da atenção básica, de hospitais, universidades, empresas, sindicatos e RHs estão convidados a discutir como oferecer uma situação de proteção ao aleitamento para colaboradoras em período de amamentação, além de condições assistir aos filhos durante o período de trabalho.

A abertura dos debates terá a participação do secretário de estado da saúde, David Uip, do presidente da SPSP, Dr. Mário Roberto Hirschheimer e da presidente do Departamento Científico de Aleitamento Materno da SPSP, Dra. Marisa da Matta Aprile. Em seguida, haverá a mesa redonda “Amamentação e trabalho: para dar certo, o compromisso é de todos”, também sob coordenação da Dra. Marisa. Ela apresentará maneiras de articular o período de aleitamento com o emprego, as leis de licença maternidade e da importância das salas de apoio à amamentação.

De acordo com a Dra. Marisa, a Lei de Licença Maternidade oferece quatro meses para funcionárias de empresas privadas, mas o correto seriam seis, para que a funcionária possa cuidar adequadamente do filho. “Preconizamos que o aleitamento materno seja o alimento exclusivo do bebê até os seis meses de idade. As empresas precisam oferecer condições para que a mãe possa estar junto à criança”.

Com medo de desemprego em virtude do período que estão afastadas durante a licença, muitas mulheres acabam abrindo mão da amamentação. “As empresas devem aderir à licença maternidade ampliada, deixando claro que a mãe não será punida, pois é fundamental que amamente seu bebê. As mulheres também devem lutar por esse direito, pois, assim, serão capazes de mudar a realidade de seu local de trabalho”. É interessante ainda que a empresa disponibilize à mulher uma sala de apoio à amamentação. O espaço deve ser adequado, com lavatório e geladeira, para que possa colher e armazenar adequadamente seu leite, sem descartá-lo. Também é necessário pensar no futuro: ter uma creche próxima ao trabalho ou na própria empresa é de extrema relevância; desse modo, a mulher poderá acompanhar melhor o crescimento e desenvolvimento do filho.

No debate promovido pela SPSP e a Secretaria da Saúde, empresas como Sencoci, Eurofarma, Hospital Municipal e Maternidade Escola Dr. Mário de Moraes Altenfelder Silva e Hospital da Mulher Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti apresentarão suas experiências com salas de apoio à amamentação, mostrando que os benefícios não são exclusivos das funcionárias, mas também dos empregadores. “A mulher faltará menos ao trabalho, será mais comprometida, produzirá mais e terá mais disponibilidade sabendo que seu filho está sendo bem alimentado e bem cuidado e mais sadio”, pondera Dra. Marisa.

Evento da XXIV Semana Mundial da Amamentação
Horário: 8h30 Às 12h
Local: SES – Auditório Luis Mussolino – Av. Dr. Arnaldo, nº 351 – Térreo

___
Texto produzido pela assessoria de imprensa da SPSP.

Publicado em 20/07/2015.
photo credit: audiohead | Dreamstime.com

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Author: SPSP

Share This Post On