Perda auditiva entre jovens é cada vez maior por conta dos fones

dreamstime_xs_11541716Embora a deficiência auditiva tenha uma forte relação com a idade, especialistas estão preocupados com a perda de audição entre os jovens. É isso o que diz matéria publicada pelo jornal O Globo. De acordo com o artigo, a poluição sonora, gerada especialmente por equipamentos de som, está entre um dos principais vilões, principalmente os fones de ouvidos, largamente utilizados pelos jovens. Um problema ressaltado pelo especialista entrevistado para a matéria é que a deficiência auditiva, nestes casos demora a se manifestar (entre dois a cinco anos). Porém, uma vez que acontece a perda auditiva, a velocidade aumenta e é irreversível.

O Globo, 27 de setembro de 2013
http://oglobo.globo.com/saude/perda-auditiva-entre-jovens-cada-vez-maior-por-conta-dos-fones-10175161

Comentários:
Dra Renata C. Di Francesco
Departamento Científico de Otorrinolaringologia da SPSP

Atualmente, as crianças e jovens ficam expostos cada vez mais cedo a sons altos. O ouvido humano é um sistema muito sofisticado. Ele é capaz de transformar a energia sonora (mecânica) em impulsos elétricos que serão interpretados pelo cérebro. Dentro do ouvido há células, que são neurônios altamente especializados e por isso não se regeneram mais. A exposição a sons altos, não apenas ruídos, mas também sons agradáveis, faz com que estas células sofram um estresse e, portanto, acabem morrendo.

A exposição diária permitida por 8 horas é de 80 dB. Entretanto, trata-se de uma escala exponencial, sendo que para 90 dB a exposição permitida é de 4 horas e para sons muito altos – de 120 dB – como sons de festas ou mesmo fones (quando o som é escutado também pela pessoa ao lado), é de apenas 15 minutos. Tempos maiores de exposição já podem causar lesões no ouvido, muitas vezes irreversíveis.

___
Publicado em 17/01/2014.
photo credit: | Dreamstime.com

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Author: SPSP

Share This Post On