Momento Saúde: vício em games – estabelecendo limites

saúde mentalA coluna Momento Saúde foi criada para que você possa ter informações rápidas sobre um determinado tema de relevância para a saúde das crianças e adolescentes, com textos curtos e de linguagem simples. Com uma postagem por semana, esta coluna será seu momento de dicas, alertas e cuidados.

Vamos tratar de:
vício em games

 

Como estabelecer limites e lidar com a dependência?

Os pais podem e devem cuidar de como os filhos estão se comportando frente ao hábito de jogar.

O que é importante?
• Determinar quanto tempo é aceitável para o filho jogar, definindo um período para os dias de semana e outro para os finais de semana, quando há menos atividades ou tarefas. O tempo deve estar em acordo com a idade, as várias necessidades da criança ou adolescente (se alimentar, descansar, brincar, dormir, passear, estudar) e deve funcionar tanto para eles quanto para os pais. Portanto, é importante que as razões para os limites estejam claras e que haja um acordo entre pais e filhos.
• Ser firme e estabelecer limites que consiga sustentar, porque, com certeza, os filhos insistirão em ultrapassá-los. Limites superestimados têm grande chance de fracassar. Por outro lado, limites muito flexíveis não ajudam as crianças ou adolescentes a entender porque não podem jogar todo o tempo que quiserem.
• Estabelecer com a criança e adolescente quais serão as consequências, caso se recusem a aceitar o tempo estipulado. Retirar alguns benefícios, recolher o controle do game ou o celular quando passar dos limites, só devolvendo no próximo período de jogo, pode fazer que o filho entenda que o combinado é a sério, buscando respeitá-lo.
• Envolver seu filho em atividades com a família, considerando outros interesses que ele manifeste. Os pais devem procurar observar e perceber outras aptidões, habilidades ou interesses dos filhos que podem ser estimulados em atividades conjunta.

saúde mental

White77 | Pixabay

___
Relatora:
Vera Ferrari Rego Barros
Departamento Científico de Saúde Mental da SPSP.

Publicado em 4/07/2018.

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Author: SPSP

Share This Post On