Momento Saúde: tratamento da sífilis congênita

A coluna Momento Saúde foi criada para que você possa ter informações rápidas sobre um determinado tema de relevância para a saúde das crianças e adolescentes, com textos curtos e de linguagem simples. Com uma postagem por semana, esta coluna será seu momento de dicas, alertas e cuidados.

Agora o assunto é:
Sífilis congênita

 

Qual é o tratamento da sífilis congênita?

Antes de pensar no tratamento da sífilis no recém-nascido devemos salientar que podemos evitá-la se a mãe com a doença receber o tratamento adequado. O tratamento é realizado na gestante, com injeção intramuscular de penicilina, uma dose por semana durante três semanas. Muito importante: também no parceiro, com uma aplicação, na maioria dos casos.

Nos casos em que a gestante não sabia que era portadora da doença – ou ela e o parceiro não fizeram o tratamento adequado – o bebê pode ter sífilis congênita. O tratamento do recém-nascido deve começar o mais rápido possível, de preferência durante a internação na Unidade Neonatal.

Para o tratamento da sífilis congênita no bebê é recomendado o uso de penicilina também, mas por mais tempo. Dependendo dos exames da mãe e do recém-nascido, a duração pode ser de até 10 dias, por via endovenosa, como o bebê internado.

Se for tratado de forma correta o bebê tem grande chance de se curar completamente e evitar as complicações da doença. Após a alta hospitalar, o bebê deverá ser encaminhado para acompanhamento ambulatorial especial.

Pexels / Pixabay

___
Relator:
Departamento Científico de Neonatologia da SPSP.

Publicado em 18/10/2017.

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Author: SPSP

Share This Post On