Momento Saúde: privação do sono

A coluna Momento Saúde foi criada para que você possa ter informações rápidas sobre um determinado tema de relevância para a saúde das crianças e adolescentes, com textos curtos e de linguagem simples. Com uma postagem por semana, esta coluna será seu momento de dicas, alertas e cuidados.

O assunto agora é:
privação do sono

A privação do sono pode se manifestar de diferentes maneiras na faixa etária pediátrica de acordo com a idade, o desenvolvimento neuropsicomotor, a duração de tempo desde que o problema que provoca os sintomas teve início e a intensidade destes.

Na faixa etária do lactente e até os três anos de idade, a manifestação é principalmente comportamental, com humor instável associado a choro ou inquietação, irritabilidade, agressividade – a criança chuta, belisca, morde, puxa o cabelo do cuidador, o seu próprio ou dos coleguinhas, bate a cabeça com força no travesseiro ou na parede.

Entre três e seis anos pode se acrescentar comportamento hiperativo ou de isolamento e, com menor frequência, sintomas de sonolência diurna com dificuldade em acompanhar as atividades na escola, distração, sono durante atividades monótonas e dificuldades na coordenação motora.

Na faixa etária do escolar até o início da puberdade, os sintomas mais chamativos são o comportamento hiperativo e as dificuldades no aprendizado.

Durante toda a fase da infância podem se juntar sintomas de baixa da imunidade com reações de hipersensibilidade, infecções de repetição, dificuldade em ganhar peso e crescer e também, de forma oposta, obesidade que pode ocorrer desde a fase de lactente quando as tentativas de minimizar o sono ruim são feitas com aumento da ingesta noturna.

A partir da puberdade, um problema muito frequente e do qual a maioria dos adolescentes sofre é o atraso do ritmo fisiológico do sono. Com frequência o adolescente que dorme com facilidade em torno das 22h vai ter dificuldade em iniciar o sono antes das 23h ou mesmo meia noite. Como a necessidade de sono na faixa etária do adolescente é de cerca de 9 a 9:30 horas, podemos ver que será difícil que o mesmo mantenha uma quantidade de sono adequada se tiver que acordar às 6 ou 7 horas da manhã. O resultado é uma privação de sono que se tornará crônica porque o período da adolescência é longo. Os sintomas principais então serão dificuldade no alerta nas primeiras horas da manhã, dificuldade no aprendizado, absenteísmo, dificuldades nos relacionamentos, baixa autoestima, depressão. A cefaleia pode aparecer nessa idade, seja pela privação do sono ou pela ansiedade e estresse devido às demandas e dificuldades em cumprir metas.

RachelBostwick | Pixabay

___
Relatora:
Dra. Márcia Pradella-Hallinan
Departamento Científico de Medicina do Sono da SPSP.

Publicado em 7/11/2018.

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Author: SPSP

Share This Post On