Dúvidas frequentes sobre a vacina contra HPV na adolescência

medium_4448325617O que é HPV?
Com o nome científico papilomavírus humano, compreende uma grande quantidade de vírus (mais de 100 tipos), capaz de provocar aparecimento de verrugas e lesões na pele ou mucosas. Pelo menos 15 tipos desses vírus podem contribuir para o surgimento do câncer de útero.

Quais os subtipos mais comuns?
6 e 11: responsáveis por 90% das verrugas genitais
16 e 18: responsáveis por 70% dos cânceres de colo de útero

Quais são as formas de se contrair o HPV?
A transmissão pode-se dar através da relação sexual, do contato direto e de objetos contaminados. A mãe também pode transmitir para o seu bebê durante a gravidez e o parto.

Como o HPV se manifesta?
Geralmente é assintomático e subclínico, desaparecendo espontaneamente na grande maioria dos casos. Entretanto, pode se manifestar na forma de vegetações verrucosas (condilomas), podendo assumir aspectos semelhantes a “crista de galo” ou “couve flor” em genitais e ânus. É responsável por quase todos os casos de papilomatose respiratória recorrente (também chamada de papilomatose juvenil recorrente, é o tumor benigno mais comum na infância), por 95% dos casos de câncer de colo de útero, além de câncer de vulva e vagina, pênis, ânus e de orofaringe.

Existe vacina pra prevenção?
Sim, existem dois tipos de vacina licenciadas no Brasil: a quadrivalente que protege contra os tipos 6, 11, 16 e 18; e a bivalente, eficaz contras os tipos 16 e 18. Ambas consistem no esquema de três doses, com intervalo de dois a três meses entre a primeira e a segunda dose e de seis meses entre a primeira e a terceira dose.

Em que idade a vacina pode ser aplicada?
A vacina quadrivalente foi aprovada para mulheres e homens de 9 a 26 anos.
A vacina bivalente foi aprovada pela ANVISA, a partir de 28 de Junho de 2013 para meninas maiores de 9 anos, sem limite de idade, não sendo indicada para meninos.

A menina pode tomar a vacina sem ter tido a primeira menstruação?
Sim, pode e, segundo estudos, quanto menor a idade, maior a proteção. Verificou-se que com as duas vacinas, os títulos de anticorpos são mais elevados (o dobro) em adolescentes menores de 15 anos em comparação com os observados em maiores de 15 anos. É interessante que seja feita a vacina antes de iniciarem a vida sexual, pelo fato de não terem contato com o HPV.

As vacinas são seguras?
Sim. Até o presente momento, não houve nenhum registro de efeito adverso grave associado às vacinas. Pode haver reações locais como dor, inchaço e vermelhidão, sendo transitórias e de leve a moderada intensidade.

Pode-se aplicar uma dose da bivalente e depois da quadrivalente ou vice-versa?
Não.

Onde as vacinas são encontradas?
No momento, em clínicas particulares. De acordo com o Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, a vacina quadrivalente estará disponível gratuitamente na rede pública a partir de 2014, para meninas de 10 e 11 anos.

___
Relatores:
Alexandre Massashi Hirata
Membro do Departamento Científico de Adolescência da SPSP (2013-2016).
Elisiane Elias Mendes Machado
Membro do Departamento Científico de Adolescência da SPSP (2013-2016).

Texto publicado em 30/10/2013.
photo credit: rgallant_photography via photopin cc

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Author: SPSP

Share This Post On