Dicas para o Carnaval

Carnaval, no Brasil, é sinônimo de feriado prolongado e muita festa. Grandes aglomerados, muita bebida alcoólica, drogas e imprudência tornam esse período suscetível a diversos acidentes. Por isso, para evitar problemas e ter uma festa tranquila, siga sempre as orientações de segurança preconizadas, por exemplo, pela Sociedade de Pediatria de São Paulo.

Confira:
• Em locais com aglomeração, mantenha-se próximo à criança, de preferência ande de mãos dada com ela. Não leve crianças pequenas a lugares em que haja muita gente (carnaval de rua, por exemplo). Coloque identificação – uma pulseira, por exemplo – com nome do responsável, endereço e telefone de contato, para facilitar a recuperação da criança, caso ela se perca.
• Fantasias devem ser leves, confortáveis e arejadas, sem peças pequenas que possam ser engolidas ou aspiradas, ou objetos pontiagudos que possam cortar ou ferir. Evite as que têm cordões, cintos ou faixas soltas, principalmente em crianças menores de 3 anos, pelo risco de sufocamento. Nas fantasias com capas, essa não deve ultrapassar a altura do quadril da criança, para evitar que tropece na mesma e caia. Máscaras, principalmente as que cobrem todo o rosto, podem se deslocar com a folia e sufocar a criança. Cuidado!
• Pinturas no rosto e corpo devem ser feitas com tinta específica, atóxica, hipoalergênica e que saia com facilidade. Deve ser aplicada preferencialmente longe de olhos e boca. Ao primeiro sinal de reação alérgica, lave abundantemente o local, retirando completamente a tinta.
• Confete, serpentinas – que devem ser de papel – e spray de espuma também podem ser prejudiciais. Há relatos de serpentina de metal que, ao atingir fios de alta tensão, eletrocutou a criança. Guerras de confetes podem levar a engasgo e/ou aspiração dos mesmos. Spray de espuma, além do risco de explosão e asfixia pela presença de gás butano, pode causar alergia na pele e olhos. Lave abundantemente o local com água, caso isso ocorra.
• Quanto menor a criança, maiores os efeitos da exposição aos ruídos altos. Evite locais próximos a caixas de som. Respeite os limites de seu filho.
• Oriente seu filho a não aceitar nada de estranhos.
• Reforce ao adolescente a importância de não consumir álcool e drogas.

Carnaval é festa e deve ser curtido com responsabilidade. Bom Carnaval!!!

___
Relatora:
Dra Tania Zamataro
Presidente do Departamento de Segurança da SPSP

Publicado em 24/02/2017.
photo credit: Evgeniya Tiplyashina | Dreamstime.com

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Author: SPSP

Share This Post On