Cuidados domiciliares em crianças com traqueostomia

O que é traqueostomia?
É um procedimento cirúrgico que, através da colocação de uma cânula na traqueia, estabelece uma via para manter a respiração adequada da criança.

Para que serve a traqueostomia?
Para permitir a passagem de ar para os pulmões, ocorrendo a respiração. Pode estar ou não acoplada a um aparelho de ventilação mecânica.

Quais são as situações que mais levam a uma traquestomia?
A intubação orotraqueal prolongada (respiração através de uma cânula na traqueia, conectada a um aparelho conhecido como “respirador”); obstrução de vias aéreas superiores por malformações craniofaciais (doenças com obstrução nasal ou na garganta, que podem ser de causa genética); estenose laringo-traqueal (fechamento da via respiratória que impede a respiração normal pelo nariz) e hipoventilação associada a doenças neurológicas (incapacidade de realizar uma respiração normal eficaz, devido perda do controle cerebral da respiração).

Quando se deve realizar a traqueostomia em uma criança?
A decisão de fazer a traqueostomia depende do quadro clínico de cada paciente, sendo feita após avaliação criteriosa de equipe multidisciplinar (pediatra, intensivista, pneumologista, cirurgião pediátrico, fisioterapeuta, psicólogo, enfermeiro, além da família).

Como é a cânula usada na traqueostomia?
Há vários tipos, modelos e tamanhos de tubos de traqueostomia, cada um com suas vantagens e desvantagens. O quesito de maior importância no momento da escolha do tubo é a idade da criança, sendo que abaixo de 1 ano geralmente utiliza-se um tipo de cânula mais flexível (PVC ou silicone). Cânulas metálicas são mais usadas em crianças maiores, e possibilitam a remoção da cânula interna para higienização, facilitando os cuidados em casa. As cânulas de plástico ou silicone precisam ser aspiradas com maior frequência para evitar acúmulo de secreções. Estas ainda podem ser com ou sem balão (“cuff”).

Cuidados de higiene com a traqueostomia.
A pele local deve ser limpa com soro fisiológico 3 vezes ao dia, ou sempre que necessário. Se a pele estiver com sinais de inflamação (avermelhada, inchada, dolorosa ou com secreção) o pediatra deverá ser consultado. A aspiração deve ser feita com técnica apropriada, por pessoal previamente treinado.

A criança com traqueostomia vai falar/comer?
A comunicação e a alimentação são aspectos importantes na criança com traqueostomia, sendo uma das principais atenções da equipe multidisciplinar, em especial do fonoaudiólogo e nutricionista. A criança com traqueostomia poderá conseguir falar e se alimentar por boca.

A traqueostomia é definitiva?
Depende de cada situação. A maioria das traqueostomias poderá ser removida, uma vez que a doença de base tenha sido corrigida, ou que haja melhora clínica, após um período de treinamento e regressão do tamanho da cânula. Quando a doença de base não puder ser atenuada ou corrigida, a traqueostomia deverá ser definitiva.

Qual a periodicidade de troca da cânula?
As cânulas plásticas, de PVC e silicone devem ser trocadas de acordo com a recomendação de cada fabricante ou a cada 2 meses. Se a cânula apresentar qualquer deterioração antes deste prazo deverá ser substituída imediatamente.

Que profissional deverá fazer a troca da cânula de traqueostomia?
A troca de traqueostomia é um procedimento seguro, mas requer treinamento e experiência. As trocas programadas deverão ser realizadas pelo médico assistente da criança.

A troca da cânula pode ser realizada em ambiente domiciliar?
Sim. O médico assistente poderá realizar a troca em ambiente domiciliar. Em situações específicas e que ele considere de maior risco, poderá indicar que seja realizada em ambiente hospitalar.

___
Relatora:
Dra. Dora Lisa Friedländer Del Nero
Departamneto Científico de Cuidados Domiciliares SPSP

Publicado em 22/10/2014.
photo credit: © Nexusplexus | Dreamstime.comDoctor Doing Medical Examination To A Child Photo

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Author: SPSP

Share This Post On