Consumo de bebida alcoólica na gravidez e a Síndrome Alcoólica Fetal

Por que consumir bebida alcoólica durante a gravidez faz mal? O consumo de álcool durante a gravidez pode danificar o cérebro, o coração e os rins, além de outros órgãos do seu bebê. Ele pode nascer com Síndrome Alcoólica Fetal ou com Alterações Fetais relacionadas ao Álcool. O que é …

Minuto de ouro!

É FUNDAMENTAL PARA O BEBÊ RESPIRAR BEM AO NASCER. No entanto, o que pouca gente sabe é que, para isso, um em cada dez recém-nascidos precisa de ajuda, que deve ser rápida e realizada no primeiro minuto de vida, por profissional qualificado. No Brasil cerca de 300 mil recém-nascidos por …

Saúde oral da criança e do adolescente

Quais os motivos para evitar o uso de mamadeiras e enfatizar a importância do aleitamento materno? Dentre os muitos motivos pelos quais a amamentação deve ser incentivada inclui-se o desenvolvimento de todo o sistema estomatognático. Enquanto o aleitamento materno requer a ação de um grupo muscular complexo no movimento da …

Olhos: cuide bem de um bem precioso

Hoje existe uma subespecialidade pediátrica que é chamada de Oftalmopediatria e o oculista que se especializou em problemas oculares da infância é o oftalmopediatra. Os olhos no começo da vida Todo recém-nascido precisa de uma consulta com o oftalmopediatra? Depende. Sem dúvida, todo prematuro (peso ao nascer menor que 1500gr …

Eczema infantil

O que é atopia? Atopia é tendência, geralmente familiar à hiper-reatividade (alergias) que se manifestam principalmente no sistema respiratório (nariz: rinite, brônquios: bronquite asmática) e na pele (dermatite ou eczema atópico). Como a atopia aparece? A tendência de desenvolver atopia é geralmente herdada dos pais, mas também depende da interação …

Você sabe por que o leite materno é o ideal para o seu bebê?

medium_338724105Muito se fala sobre os aspectos nutricionais dos alimentos na mídia. Nas prateleiras dos supermercados observamos óleos vegetais com ômega 3, alimentos isentos de colesterol, pobres em gorduras saturadas e assim por diante. O consumidor está ficando esclarecido e exigindo seus direitos.

Você sabe por que o leite materno é o alimento ideal para o seu bebê?

Porque é um alimento de grande complexidade biológica sem substituto equivalente.

A lactose, açúcar predominante no leite materno, e a presença de uma substância denominada Fator Bifidus favorecem o crescimento de Lactobacilus no intestino do bebê, que protegem contra o crescimento de germes patogênicos.

No leite materno existe um Fator de Crescimento responsável por acelerar o desenvolvimento das células intestinais do recém nascido. Este crescimento é importante para impedir a entrada de substâncias estranhas no organismo do bebê que possam desencadear processos alérgicos em fases posteriores de sua vida.

É importante salientar que outros leites, quando fornecidos aos bebês nos primeiros dias após o nascimento, podem intervir nos mecanismos protetores acima mencionados.

O leite materno é rico em proteínas de defesa imunológica e gordura ômega 3, importantes no desenvolvimento do sistema nervoso central do recém nascido e na formação da retina ocular. O conteúdo desta gordura é quase quatro vezes maior no leite materno do que no leite de vaca. A proteína do leite materno é de mais fácil digestão do que a do leite de vaca ou fórmulas.

Além das vantagens imediatas, o leite materno pode trazer benefícios por toda a vida. Seguem alguns:

  • Crianças exclusivamente amamentadas por ao menos seis meses têm incidência diminuída de obesidade e hipertensão na adolescência;
  • Crianças que recebem fórmulas infantis à base de leite de vaca antes dos dois meses de idade têm mais probabilidade de desenvolver diabetes;
  • Crianças amamentadas exclusivamente têm menos infecções de ouvido do que as não amamentadas;
  • A amamentação protege também contra diarreia e infecções das vias respiratórias da criança devido às características protetoras e imunológicas do leite materno citadas anteriormente;
  • Crianças alimentadas ao seio apresentam melhor visão e desempenho em testes cognitivos quando amamentadas por períodos prolongados;
  • Amamentar exclusivamente pode reduzir o risco de câncer de ovário e de mama que surgem antes da menopausa.

Além de suas vantagens nutricionais e de defesa, amamentar é prático, econômico e aumenta o vínculo entre a mãe e o filho. Com tantas vantagens é possível não incentivar este consumo?

AMAMENTE E INCENTIVE A AMAMENTAÇÃO! VOCÊ ESTARÁ INCENTIVANDO A SAÚDE!

___

Relatora:
Dra. Vera Lúcia Figueiredo Senise
Membro do Departamento Científico de Neonatologia da SPSP.

Publicado no site da SPSP em 01/08/2007.
photo credit: ODHD via photopin cc

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Corticoide: um remédio para ser tomado sempre sob supervisão médica

medium_18824618Corticoides, produtos à base de cortisona, têm indicações adequadas na prática médica, principalmente pelos seus efeitos anti-inflamatórios. Mas seus efeitos colaterais – obesidade, aparecimento de pelos, entre outros – fazem com que estes medicamentos ainda provoquem certo receio quando prescritos pelos médicos.

Os corticoides têm sido utilizados em situações definidas:

  • De emergência: quando ocorrem casos de edema de glote (“fechamento da garganta”, geralmente por alergia), casos de urticária importante e crises de asma grave. Nestas ocasiões, estes medicamentos tornam-se parte importante no tratamento e são administrados por via intramuscular ou endovenosa.
  • Que requerem continuação do tratamento: quando após uma situação aguda, há necessidade do uso do corticóide para sua continuidade. Um exemplo é a crise de “asma”, quando o mesmo, prescrito por via oral, por poucos dias, irá contribuir para a melhora do paciente.
  • Na prevenção e tratamento de doenças respiratórias alérgicas: eles geralmente são administrados por via inalatória e contribuem de maneira efetiva no tratamento.
  • Em doenças crônicas: nestas situações, os corticóides são administrados por via oral e por tempo prolongado. Doenças reumáticas, renais e pulmonares constituem bons exemplos.

Os efeitos colaterais são decorrentes do tempo, dose, forma de administração e da sensibilidade individual do paciente aos mesmos. De forma geral, nas situações 1, 2 e 3, os corticóides não apresentam efeitos colaterais ou eles são mínimos. Na situação 4, eles podem levar a efeitos colaterais como: ganho de peso, estrias, presença de espinhas e pelos na face, prejuízo no crescimento, fraqueza e mal estar após sua suspensão abrupta. Nestas situações, a retirada paulatina do medicamento, sob supervisão médica, permitirá diminuir progressivamente estes efeitos colaterais com possível desaparecimento dos mesmos.

Portanto, como em qualquer medicamento, a administração correta, sob cuidado médico, durante o tempo prescrito, permitirá obter os benefícios desta terapêutica, reduzindo a ocorrência dos possíveis efeitos colaterais.

___

Relator:
Dr. Hilton Kuperman
Vice-presidente do Departamento Científico de Endocrinologia Pediátrica da SPSP (2004-2006) e Presidente do Departamento de Endocrinologia Pediátrica da SPSP (2007-2009).

Publicado no site da SPSP em 25/07/2007.
photo credit: selva via photopin cc

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.