Carnaval: festa e alegria, mas cuidado com as crianças

carnival-250936_640A palavra carnaval sempre é associada à festa, alegria, algumas extravagâncias, sentimentos de liberdade e liberação, muitas vezes reprimidos durante todo o ano. Homens se vestem de mulheres, mulheres de princesas e crianças de super-heróis e outros personagens lúdicos dessa idade. Entretanto, os pais não podem “baixar a guarda” no item segurança, devem redobrar os cuidados com as crianças durante o carnaval para evitar acidentes, a primeira causa de mortalidade nas crianças acima de um ano de idade.

Como já foi dito, nos dias de folia é comum que as pessoas fiquem mais relaxadas, inclusive na vigilância dos pequenos, o que pode facilitar a ocorrência de situações graves. Para evitar transtornos, os pais precisam ter consciência de que a criança não sabe avaliar o risco que corre e também de que situações comuns para os adultos podem ser fatais às crianças. Além da distração, a curiosidade, a inexperiência e o próprio corpo da criança podem causar acidentes.

Quedas

Aqueles que vão assistir aos desfiles de carnaval, ou passagem de blocos, das sacadas de seus apartamentos ou sobre pontilhões e lugares poucos seguros: cuidado com o costume das crianças de se pendurarem para enxergar melhor, há o risco de queda. A cabeça da criança corresponde, em média, a 25% do seu peso total. Em um adulto, o índice é de 6%. Por isso, facilmente, a criança se desequilibra.

Desaparecimento

Quem vai participar de carnaval de rua não deve deixar que as crianças se afastem muito, além do risco de se perderem, elas podem sair do trecho indicado de segurança e serem atropeladas. Não basta avisar aos pequenos sobre o perigo, frases como “cuidado filhinho”, “fica perto da mamãe filhinha”, entram por um ouvido, e saem pelo outro. Os pais devem supervisionar as crianças e não delegar o poder.

Fantasia

A preparação das fantasias também exige atenção. Peças e acessórios pequenos, como lantejoulas, podem se soltar e serem engolidas ou aspiradas. Os pais devem evitar fantasias com cordões, cintos e faixas soltas, para que não haja risco de sufocação e estrangulamento. Tenha cuidado com objetos e acessórios pontiagudos. Se for fazer pintura no rosto, os pais devem procurar tintas específicas para essa parte do corpo e voltadas para o público infantil. Cuidado com as máscaras, principalmente as de material sintético que podem impedir a respiração.

Ao estourar bexigas e balões, as crianças podem engolir ou se asfixiar com pedaços pequenos de borracha. Não comprem brinquedos que estimulam a violência, um simples martelinho barulhento de plástico pode machucar o coleguinha.

Viagem

Muitos vão viajar para a praia ou outra cidade. Por isso cuidado também – nessa época, por mais que se avise, o consumo de bebidas alcoólicas aumenta infinitamente, aumentando o risco de acidentes no trânsito.

Na hora de viajar, a orientação é para que os pais coloquem as crianças sentadas na cadeirinha adequada para a idade, no banco traseiro e sempre com o cinto de segurança.

Aproveite seu carnaval, de modo seguro e responsável. As crianças devem sim, nascidas no país do carnaval, brincar, pular, cantar e se fantasiar. Carnaval é antes de tudo um legado cultural, vamos preservar nossa cultura, mas também a saúde e a segurança de nossas crianças.

___
Relator:
Tadeu Fernando Fernandes

Departamento de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da SPSP

Publicado em 13/02/2015.

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Author: SPSP

Share This Post On