Bons hábitos para o sono do bebê

medium_8279614034Quando o nenê vai chegando perto dos 5 a 6 meses de idade uma pergunta é inevitável para o pediatra:

– Doutor, quando meu nenê vai dormir uma noite inteira?

A resposta é muito complicada, não existe um padrão, cada caso é um caso, mas um fator é fundamental: a disciplina que os pais adotaram nos primeiros meses de vida do nenê.

No começo tudo é alegria, novidade e dedicação, afinal, após nove meses de uma angustiante espera, eis aqui o tão esperado filho. É justamente aí que pode começar a fixação de alguns hábitos não saudáveis que determinarão a qualidade e a quantidade do sono.

Um estudo publicado agora no final de 2010, realizado pela especialista em sono Dra. Jacqueline Henderson, da Nova Zelândia, mostrou que, se bons hábitos forem adotados precocemente, quase metade dos bebês irão dormir a noite inteira cerca de dois ou três meses após o nascimento.

A pesquisadora estudou os padrões do sono durante todo o primeiro ano de vida de 75 recém nascidos a termo e saudáveis. Os pais que adotaram algumas ferramentas de higiene do sono como a criação de um ambiente quieto, escuro e com a temperatura apropriada; a manutenção de rotinas consistentes (horários para dormir e reforço para o bebê dormir e acordar em seu berço com pouca ajuda, ou seja, sem o famoso “fazer ninar”) e gradualmente aumentaram os intervalos entre as alimentações noturnas, tiveram sucesso em fazer o bebê dormir uma noite inteira, pelo menos das 24 às 6 horas da manhã.

Ela listou alguns bons hábitos do sono:

• Estabelecer horário para colocar a criança no berço à noite. De preferência, ela deve ir acordada para aprender a “pegar” no sono.

• Tentar adaptar o horário de a criança dormir ao horário da família (desde que a família também tenha hábitos saudáveis de sono). Uma boa maneira pode ser retardar a hora de dormir, à noite.

• Escolher um objeto que funcione como aviso da hora de dormir. Travesseiro, fralda, brinquedo ou alguma outra “bengala”.

• Criar um ritual de sono, como dar um banho de banheira, morno e relaxante, dar de mamar (geralmente o intestino funciona após o mamar), fazer a troca e vestir um pijama (sim, até isso é importante para a rotina: ter a “roupa” de dormir), colocar a criança no berço, parar por alguns minutos, em silêncio, fazer uma meditação ou uma oração. É importante transmitir paz e tranquilidade. Nessa hora, os pais também podem fazer um pouco de companhia ao bebê, sentando ao lado do berço, lendo um livro e aproveitando também para relaxar.

• Quando o bebê chorar de madrugada, aguarde. Muitas vezes ele volta a dormir sozinho. Apenas em último caso vá ao quarto acalmá-lo. Evite levá-lo para dormir com você. Do contrário, ele repetirá o choro todas as noites.

• Evitar cochilos muito longos ou muito frequentes durante o dia. A rotina do sono diurno também influencia os hábitos noturnos.

• Evitar barulhos, brincadeiras estimulantes, televisão e outros estímulos perto da hora de dormir.

• Nunca iniciar o sono em um local e depois transferir para o berço. Quando acordar o bebê vai ficar “assustado”: dormiu em um local e acordou em outro!

• Erro grave e frequente: dormir na cama dos pais! Cada um na sua cama, cada um no seu lençol, cada um com suas bactérias, cada um com sua individualidade.

Dormir e comer estão relacionados a hábitos, e hábitos se constroem, não se impõem. Não existe remédio milagroso para que o nenê tenha uma boa noite de sono, a disciplina é fundamental.

___

Relator:
Dr. Tadeu Fernando Fernandes
Vice-presidente do Departamento Científico de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da SPSP e Diretor-presidente da Regional SPSP Campinas

Publicado no site da SPSP em 21/01/2011.
photo credit: John Drake Flickr via photopin cc

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Author: SPSP

Share This Post On