Asfixia e sufocação: como prevenir

dreamstime_xs_7383384A sufocação, ou seja, obstrução das vias aéreas, é a primeira causa de morte por acidente em crianças de até 1 ano. Isso acontece porque os pequenos levam à boca e ao nariz qualquer objeto (corpo estranho) que encontrarem. Eles também podem, inclusive, se asfixiar com a própria comida. O maior risco, no entanto, é o objeto ser aspirado para o pulmão.

No Brasil, amendoim, feijão e milho, bagos de uva, são os alimentos que costumam ser aspirados com mais frequência. Mas brinquedos, balões de borracha, estruturas esféricas, baterias e ímãs são mais associados à mortes imediatas do que os grãos.

A boca do lactente tem uma pequena distância entre os dentes incisivos e a base da língua, que aumenta significativamente com o desenvolvimento da face. Juntamente com a frequência respiratória mais alta, essa característica anatômica faz com que facilmente alimentos lisos ou escorregadios (grãos de uva, sementes como amendoim) deslizem para a laringe, ocasionando broncoaspiração ou asfixia.

Características do desenvolvimento do bebê, que tudo leva à boca, se somam aos riscos inerentes a esta faixa etária em relação ao engasgo e asfixia. A supervisão da alimentação do bebê deve ser ativa, constante, até 4 anos de idade.

Como prevenir?

  • Escolha brinquedos de acordo com a idade do seu filho e com selo do Inmetro. Peças pequenas, que passem facilmente pelo rolo de papelão que serve de suporte ao papel higiênico (esta é uma boa medida de teste para partes pequenas) devem ser mantidas fora do alcance dos pequenos;
  • Objetos pequenos, como botões, moedas e bolas de gude devem ser mantidos fora do alcance da criança;
  • Os brinquedos de irmãos mais velhos devem ser guardados separados;
  • Amasse ou desfie as fibras dos alimentos antes de oferecê-los à criança. Entre os que apresentam mais risco de aspiração estão sementes, amendoim, oleaginosas, milho, feijão, pedaços de carne e queijo, balas duras, pipoca, goma de mascar e uvas inteiras;
  • As crianças devem comer sentados à mesa, e não enquanto correm ou brincam.

Primeiros socorros

Tosse e engasgo são os primeiros sinais de que a criança aspirou um corpo estranho. Mas se ela consegue respirar, o melhor a fazer é levá-la ao pronto socorro e deixar o atendimento por conta dos médicos. Casos mais graves, com asfixia, falta de ar e lábios arroxeados, exigem socorro imediato.

Em menores de 1 ano de idade, deve-se deixar a criança de bruços, de cabeça virada para baixo, sobre a perna de um adulto. Em seguida, é necessário pressionar com a mão a região das costas por cinco vezes, repetindo-se o procedimento na frente, até que o objeto seja expelido ou a criança reaja.

Em crianças maiores de 1 ano, é necessário realizar a manobra de Heimlich. O procedimento consiste em abraçar a criança por trás e comprimir abaixo das costelas, com sentido para cima, até deslocar o corpo estranho da via aérea para a boca.

Caso você consiga ver o corpo estranho na boca da criança, retire-o cuidadosamente. Do contrário, evite colocar os dedos ali pois o gesto pode empurrar o objeto para regiões mais baixas e piorar a situação.

___
Relatora:
Dra. Regina Maria C. Gikas
Membro do Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente da SPSP.

Publicado no site da SPSP em 7/11/2012.
photo credit: Sophie Davis | Dreamstime.com

Este blog não tem o objetivo de substituir a consulta pediátrica. Somente o médico tem condições de avaliar caso a caso e somente o médico pode orientar o tratamento e a prescrição de medicamentos.

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Author: SPSP

Share This Post On